Não vejo a hora de acabar

Compartilhe nas Redes Sociais

Compartilhe nas Redes Sociais

Chegar à velhice na nossa geração, torna-se a maior aventura de todos os tempos. As metas e objetivos que traçamos para a nossa vida, o desgaste da rotina do dia-a-dia, as preocupações em vivermos neste mundo onde tudo passa depressa e sem tempo para se olhar para trás, diria mesmo que estamos a atravessar uma das piores fases da nossa existência. Não descobrimos o fogo, nem o ferro, nem a luz, mas descobrimos milhões de coisas com uma dimensão tão grande que nos esquecemos do essencial da vida: Viver! Há duas semanas atrás recebi a notícia de um lar de

AG e os Meias Limonada - Música POP Portuguesa

Banda de 10 elementos ou Dueto de voz e Piano para locais mais intimistas

Já estamos fartos de tanto covid

Palavras que se ouvem sem ninguém conseguir

Perceber a grandeza do desastre natural

O mundo em sentido nunca vivido igual.

O melhor é que já não respeitamos ninguém

Todos querem fazer da vida, uma vida de bem

E por mais que avisados já não temos respeito

O exemplo que temos não lhes dá o direito.

 

Quando é que isto acaba

Sem notícias a badalar

Pobreza franciscana desta vida sem parar

Uns querem acabar por falta de pão

Outros fazem deste surto um tesouro do milhão

Nestas alturas em que mais se precisa

Viram as costas a quem te avisa

 

Mas o momento vai chegar

Quando nos vieres pedir

A vontade de vencer voltas de novo a sorrir.

Há quem acredite nas palavras sempre iguais

Todos te pedirão sempre muito e muito mais

Promessas não cumpridas de tanto saber

Voltamos a ter peso só para esclarecer.

 

Palavras que o tempo

Já não chega a cumprir

Estamos fartos de escutar sem traduzir

O covid veio para ficar e já sabemos como é

E se voltas a parar levas o pontapé

Não consegues trabalhar neste formato banal

Vira a página da vida para o mundo real.

 

Não vejo a hora de acabar

Já não sei onde isto vai parar

Quando alguém te der um limão…

Faz uma limonada!

Compartilhe nas Redes Sociais

Comentários