Ericeira aqui tão perto e foge para África do Sul?

Compartilhe nas Redes Sociais

Compartilhe nas Redes Sociais

Chegar à velhice na nossa geração, torna-se a maior aventura de todos os tempos. As metas e objetivos que traçamos para a nossa vida, o desgaste da rotina do dia-a-dia, as preocupações em vivermos neste mundo onde tudo passa depressa e sem tempo para se olhar para trás, diria mesmo que estamos a atravessar uma das piores fases da nossa existência. Não descobrimos o fogo, nem o ferro, nem a luz, mas descobrimos milhões de coisas com uma dimensão tão grande que nos esquecemos do essencial da vida: Viver! Há duas semanas atrás recebi a notícia de um lar de

AG e os Meias Limonada - Música POP Portuguesa

Banda de 10 elementos ou Dueto de voz e Piano para locais mais intimistas

Peripécias do nosso Portugal.

João Rendeiro finalmente capturado em África do Sul e já se pensa nas dificuldades em extraditar o Português mais procurado nestes últimos tempos. 

É uma questão de justiça e de moralidade para o Povo Português ver este senhor agarrado pela malha policial de forma a poder ser julgado pelas inúmeras acusações de que é alvo. Até aqui tudo bem.

A pergunta a fazer agora é: Ficaremos felizes por este ou outro senhor qualquer ser preso?

Vai parecer estranha a minha resposta, mas a mim não me trás qualquer tipo de felicidade. Todos sabemos que Portugal está na cauda da Europa no que concerne a crimes de corrupção. Este cantinho aqui plantado é um viveiro de corruptos e damos cartas a qualquer cidadão do Mundo sobre o assunto. Uns são presos e libertados meses depois, outros andam a passear na Ericeira, outros candidatam-se a cargos públicos, enfim, o nosso Portugal cheio de moralidade e bons costumes que não lembram a ninguém!

Não, não fico contente com a prisão de ninguém sobre casos de corrupção. Em meu entender, este tipo de pessoas deveriam sim, repor o dinheiro desviado ao Estado Português ou a todos aqueles que foram desfalcados pela sua ação. Ao contrário disto, não devolvem o dinheiro, pagam cauções, dão entrevistas a sentirem-se injustiçados e no fim de tudo, anos depois, ainda vamos ter que pagar-lhes alguma indeminização. Se não for indeminização, conhecemos o primo do primo e amigo do amigo e somos expulsos para o Banco de Portugal para ganharmos um vencimento mínimo mensal. Haja vergonha!

Paguem o que devem, procurem o rasto do dinheiro, arranje-se forma na Lei de reaver o dinheiro dos amigos, primos e família e depois de tudo isto, agora sim, extraditados do nosso País para o “raios os parta”. Agora de férias em Portugal e na Ericeira? Só mesmo neste País de bananas!

Quando alguém te der um limão…

Faz uma limonada!

Compartilhe nas Redes Sociais

Comentários