|

O artista Carlos Julião faz 65 anos

Compartilhe nas Redes Sociais

Compartilhe nas Redes Sociais

Chegar à velhice na nossa geração, torna-se a maior aventura de todos os tempos. As metas e objetivos que traçamos para a nossa vida, o desgaste da rotina do dia-a-dia, as preocupações em vivermos neste mundo onde tudo passa depressa e sem tempo para se olhar para trás, diria mesmo que estamos a atravessar uma das piores fases da nossa existência. Não descobrimos o fogo, nem o ferro, nem a luz, mas descobrimos milhões de coisas com uma dimensão tão grande que nos esquecemos do essencial da vida: Viver! Há duas semanas atrás recebi a notícia de um lar de

AG e os Meias Limonada - Música POP Portuguesa

Banda de 10 elementos ou Dueto de voz e Piano para locais mais intimistas

Carlos Julião faz hoje 65 anos de idade. É com muito orgulho que me apresento como seu amigo. Conhecemo-nos a algum tempo, por culpa da sua profissão e da ligação com a minha mulher, mas sou feliz por pessoas como estas passarem na minha vida de forma marcante.

Apelido este meu amigo de artista e tenho a consciência de que não estive presente no seu ponto mais alto da carreira de artista. Sou relativamente mais novo, mas já não sou do tempo das tão divertidas tardes e noites de baile do nosso país. O Carlos fez grande parte da sua vida nos palcos. A sua forma peculiar de estar com o público, fez dele uma referência na música de Baile e dos conjuntos musicais. São muitas as pessoas que se recordam das suas atuações e muitas mais aquelas que têm saudades desses tempos.

Os bailes terminaram...

Realmente é uma verdade a não ser escondida. Os Bailes terminaram, as pessoas procuraram e encontraram outras alternativas de diversão e os músicos tiveram que se adaptar a novas realidades. Muitos pura e simplesmente desistiram, mas o Carlos não virou a cara à luta e fez-se ao caminho.

As contrariedades, como em todos os setores, são elevadas. Agora exige-se criatividade, diferença, presença, enfim… exige-se tudo e nada!

Cada um seguiu o caminho que bem quis e se identificou. O Carlos Julião, após esse fim dos “bailaricos” já fez quatro álbuns musicais. Parece tarefa fácil, mas não é, independentemente de gostarem ou não da música do autor em causa. Há que dar valor a pessoas como estas que procuram encontrar soluções para a concretização do seu sonho. 

Tive a oportunidade de parar este meu artigo a meio para receber o teu telefonema. E escrevo aquilo que acabei de te dizer:

- Gosto de ti e mereces ser feliz. Parabéns!

Termino este pequeno artigo para vos informar de que todos têm valor! O Carlos Julião na música tem tanto valor como tantos ou mais outros que por aí andam! Faço-lhe a vénia pelo facto de ter escolhido o caminho dos originais, embora reconheça que isso também já não importa. O que importa agora é…. ninguém sabe! 

Existirá argumentação sempre para se apresentar a favor desta ou de outra ideia. Tenho mesmo que me adaptar à ideia de que “manda quem pode e obedece quem deve!“. Mas como não gosto de me calar sem mais nem menos, ficam aqui várias perguntas que deixo no ar:

  • Porque é que o Carlos Julião não tem concertos?
  • Conhecem as suas músicas?
  • Tantas festas e festivais na sua terra e não aparece?
  • A quem falta agradar o Carlos Julião?
  • Já deram a ouvir aos vossos filhos para saberem se eles gostam?
  • Não há quem goste deste artista?
  • Não tem espaço no panorama musical atual?
  • Tem poucas músicas?
  • Não tem banda?
  • Falta de apresentação?

Prefiro ficar calado... mas não por muito tempo!

Tenham vergonha na cara e deixem-se de dar palmadas nas costas sempre à procura de outros fins!

Muitos Parabéns amigo

Hoje o dia é teu, da tua família e daqueles que mais gostas. Desejo-te tudo de bom, sem palmadinhas nas costas e dizer-te que a felicidade na vida não se compra. Tu já a tens e fico feliz por ser teu amigo. Nunca deixes de sonhar!

Um grande abraço.

Quando alguém te der um limão…

Faz uma limonada!

Compartilhe nas Redes Sociais

Comentários