2021 vai deixar-me saudades…

Compartilhe nas Redes Sociais

Compartilhe nas Redes Sociais

Chegar à velhice na nossa geração, torna-se a maior aventura de todos os tempos. As metas e objetivos que traçamos para a nossa vida, o desgaste da rotina do dia-a-dia, as preocupações em vivermos neste mundo onde tudo passa depressa e sem tempo para se olhar para trás, diria mesmo que estamos a atravessar uma das piores fases da nossa existência. Não descobrimos o fogo, nem o ferro, nem a luz, mas descobrimos milhões de coisas com uma dimensão tão grande que nos esquecemos do essencial da vida: Viver! Há duas semanas atrás recebi a notícia de um lar de

AG e os Meias Limonada - Música POP Portuguesa

Banda de 10 elementos ou Dueto de voz e Piano para locais mais intimistas

Mais um ano a passar. Mais um ano em que felizmente estamos neste mundo. Mais um ano fica para a história.

Os dias passam e avançamos rapidamente para onde ninguém sabe!

O ano 2021 trouxe-me muitas surpresas, muitas alegrias e felizmente poucas tristezas, mas todas elas me marcam de forma significativa:

  1. Falecimento de três amigos:  José Carlos Gonçalves, Ricardo e Nuno Canoa. Descansem em paz.

2. Estreia dos Meias Limonada: Realização de um sonho de criança. Em palco com excelentes profissionais a meu lado e com músicas originais. Estou eternamente agradecido por todo o esforço e apoio neste projeto. Queremos muito mais e sinto-me responsável por levar este projeto o mais longe possível com todas estas pessoas. Fácil não será certamente, mas também não vai ser fácil desistir.

A este grupo de pessoas que compõem os Meias Limonada uma palavra especial  

3. Acompanhado de muito boas pessoas. É sempre com muito prazer estar reunido de pessoas boas e que me fazem bem. Conquistar novas amizades é para mim o objetivo de vida. Obrigado por me receberem nas vossas vidas. A família é e será sempre o pilar do meu respirar.

4. A descoberta do Andebol pelo Henrique. Esta modalidade é a minha de eleição. Desde pequeno que a descobri e me tornei apaixonado. Um jogo de equipa, de força, habilidade, de esperteza e acima de tudo de muito espírito de conquista de grupo. Fico feliz por ter influenciado muitas pessoas da família a gostarem deste desporto.

5. A força dos irmãos. Somos do mesmo sangue. Vivemos agora um período diferente. Ninguém está preparado para estas coisas, mas com mais ou menos dificuldade lá estamos nós a dar um pouco daquilo que recebemos em conjunto. Sou um felizardo pelos irmãos que tenho. Todos somos diferentes, mas iguais nos objetivos que nos unem.

6. O renascer do 1717 Acreditar. Uma associação de que sou fundador e de que me orgulho dos seus princípios. Não é fácil existirem propostas como estas sem qualquer tipo de objetivos maiores. Não estamos habituados a que este tipo de coisas aconteçam e por esta razão, nem sempre o 1717 Acreditar foi bem compreendido. Eu, na parte que me cabe, irei fazer mais um esforço para levantar este projeto de boas intenções e de espírito muito positivo.

 Quando nós sonhamos. Foi mesmo um sonho este ano, apesar das contrariedades do COVID, consegui com a ajuda de muitas pessoas viver um ano em cheio de realizações. Estou feliz por isso e agradecido por todos aqueles que me empurraram nos momentos mais fracos, porque também foram muitos, e me deram força para avançar.

Não sou convencido ao ponto de me considerar um exemplo para quem quer que seja, mas vou utilizar esta frase que muitas vezes me dizem: “deveriam existir muitas pessoas como tu”. Eu afirmarei ainda mais. Como eu não! Melhores e muito melhores do que eu para que este mundo fosse realmente diferente e bom de viver por e para todos.

Quando alguém te der um limão…

Faz uma limonada!

Compartilhe nas Redes Sociais

Comentários